domingo, 11 de novembro de 2007

SER DIFERENTE É FUNDAMENTAL


SER DIFERENTE É FUNDAMENTAL

É impressionante e interessante como algo tão óbvio pode causar tanta estranheza em tantas pessoas. Sou obrigada a acreditar no que a Mara já afirmava há muitos anos. “o óbvio tem que ser dito”. Eu achava que não era bem assim, mas me rendo.
Ninguém é igual a ninguém. Cada pessoa é uma individualidade, com suas qualidades físicas, morais e espirituais próprias. Cada um tem capacidades e incapacidades também. Tudo isso são diferenças individuais e são essas diferenças que formam a incrível e maravilhosa diversidade que existe entre nós, seres humanos. E o fantástico da diversidade é a riqueza de conhecimento e de aprendizado que ela pode proporcionar e a possibilidade de troca desses entre as pessoas.
Imagine um mundo onde absolutamente todas as pessoas fossem brancas, ou todas fossem negras, ou ainda, onde todas fossem amarelas. Um mundo onde todos soubessem tudo igualzinho, ninguém tivesse nada pra aprender ou ensinar pra ninguém. Todos pensassem igual. Para mim seria um horror. E para você?
Pode acreditar, ser diferente é FUNDAMENTAL.
Bem, se ser diferente pode ser tudo de bom, por que existem pessoas que insistem em não reconhecer, respeitar e valorizar a diferença? Será preconceito? Presunção? Orgulho?
Eu já estudei bastante nessa minha vida e reconheço que tenho aprendido a cada dia e ainda tenho muito a aprender, não apenas com pessoas que já estudaram mais que eu, mas com absolutamente todas as pessoas que cruzarem o meu caminho. Sejam elas brancas, negras, amarelas, ricas pobres, cegas ou videntes, surdas ou ouvintes e em qualquer nível de conhecimento cognitivo. Todas têm um tanto a me ensinar e outro tanto a aprender comigo. Viver é uma troca constante, de energias, de emoções, de conhecimentos, de tudo. Portanto, não importa quem sabe mais ou quem sabe menos, quem tem mais ou quem tem menos, quem sente mais ou quem sente menos. Cada um dá o que quer e o que pode e recebe da mesma forma. E o pouquinho de cada um é que tece essa bênção constante que é viver.

2 comentários:

Aline Moreira disse...

Fantástico Regina. Também penso assim. Que bom... Se o mundo entender a maestria e a beleza das diferenças e perceberem que para a plenitude do todo... basta elas verem o quanto dependem uma das outras, seria completo!! Belíssima imagem. Parabéns pelo Blog. Abraços, uma leitora.

Elisa disse...

Regina,
Adorei!
Parabéns pela lucidez.
Minha filha tem um pequeno hemangioma na pontinha do nariz e iso a torna diferente das outras crianças. No entanto, tais crianças não se tocam disso, apenas os adultos ...
Caso queiras ler minha novela por causa do hemangioma, dá uma olhadinha no meu blog.
Bjks